Luiz Eduardo 300x199 APRESENTAÇÃOO romance-reportagem Banguela aborda os bastidores da maior operação da história da Polícia gaúcha, que envolveu o maior esforço de integração já realizado pelas instituições da segurança pública nos Estados do Sul do Brasil.

A operação desmantelou o núcleo do crime organizado que agia na região, com ramificações no Sudeste e no exterior. A mídia jamais abordou a história em profundidade e extensão. Em Banguela, o escritor e jornalista Marcio Pessôa desvenda os bastidores da operação.

As informações são inéditas e surpreendentes. Pessôa teve acesso privilegiado a essa trama dramática e fascinante, graças a um trabalho detalhado, extremamente corajoso e paciente, ousado e minucioso, sensível e preciso. Um dos pontos altos da investigação jornalística no Brasil, o texto é intenso e cativante, combinando jornalismo investigativo e literatura.

Pessôa toca nas feridas da segurança pública brasileira. Corrupção, brutalidade, infraestrutura precária, influência política, amadorismo e escutas telefônicas como instrumento de barganha: esses ingredientes dão o tom à narrativa. Além de todos esses problemas e de muitos vícios na técnica da investigação policial, Banguela retrata o sistema de segurança raquítico e bizarro, onde as diferentes instituições da segurança pública são rivais, não cooperam e desconfiam umas das outras.

Pessôa levanta uma suposta cola de investigações da Polícia Civil (PC), realizada por meio de escutas telefônicas às quais a Polícia Federal (PF) teve acesso, em circunstâncias específicas, aproveitando-se de investigação da Corregedoria da Polícia Civil (Cogepol). Federais possivelmente teriam tido acesso não autorizado a grampos de policiais civis e acabaram obtendo informações sobre a operação de caça à quadrilha. A PF teria aproveitado o fio da investigação da PC e dado novo rumo ao seu trabalho a partir das informações coletadas pela corporação-irmã. O conflito histórico entre a Polícia Militar gaúcha e a Polícia Civil traz à tona questões éticas e expõe as veias do governo.

Em nosso país, quando mais do que nunca se discute o uso abusivo dos grampos telefônicos (tema de uma CPI), a corrupção dos agentes públicos, o poder do crime organizado, a precariedade da estrutura organizacional das Polícias, sua fragmentação irracional, e a falta de infraestrutura dos sistemas de segurança, o livro do jornalista e escritor Marcio Pessôa é de extrema relevância e aporta uma contribuição de valor inestimável.

LUIZ EDUARDO SOARES
Cientista Social, Antropólogo, Escritor e ex-Secretário Nacional de Segurança Pública